do Gr. photós + páthos

Posted in diálogos by Paulo S. on 22/04/2017

colagem para projecto de Fernando Machado Silva que não chegou a concretizar-se (31 de Janeiro de 2012)
[aspas desenhadas digitalmente por Ariana Couvinha]

Anúncios

Caderno azul n.º 10

Posted in diálogos by Paulo S. on 04/04/2017

Era uma vez um homem ruivo que não tinha olhos nem orelhas.

Também não tinha cabelo, chamavam-lhe ruivo por mera convenção.

Não falava porque não tinha boca. Também não tinha nariz.

Nem sequer tinha braços ou pernas. Não tinha estômago, não tinha costas, não tinha coluna, e também não tinha vísceras. Não tinha mesmo nada! Por isso não podemos saber de quem estamos a falar.

Diria mesmo que é melhor não acrescentarmos mais nada a seu respeito.

KHARMS, Daniil, Três Horas Esquerdas (2001), Trad. Júlio Henriques, Porto, FLOP, 2017, p. 41.

Are you here de Matthew Weiner

Posted in diálogos by Paulo S. on 14/08/2016

(Ben Baker:) I really screwed up.
(Angela Baker:) It wasn’t in your control.
(Ben Baker:) Gauguin packed up as far from this crap hole as possible, and the world wasn’t even 1/10th as polluted as it is now.
(Angela Baker:) You feel like packing up?
(Ben Baker:) No, I don’t even feel that. I just feel like… it’s a pretty nice day, and I hate myself for being the guy that only has that to say.

Posted in diálogos by Paulo S. on 17/02/2016

 

Posted in diálogos, sugestões by Paulo S. on 07/01/2016

– Um músico falhado? Um pintor falhado? Um cineasta falhado? Um bailarino falhado?

– Sim, um escritor.

AMARAL, Rui Manuel, polaróide, Lisboa, Língua Morta, 2015, p. 49.

Posted in diálogos by Paulo S. on 27/11/2015

Cultivei por muito tempo uma convicção, a de que a maior aventura humana é dizer o que se pensa.

NASSAR, Raduan, Menina a caminho e outros contos (1997), Lisboa, Edições Cotovia, 2000, p. 75.

Posted in diálogos by Paulo S. on 17/07/2015

Uma escada que sobe pelos degraus de ti

Posted in diálogos by Paulo S. on 06/04/2015

O que nas palavras carrega a luta e a aflição de um homem a erguer-se no seu rosto precário. O que nas palavras se procura, se perde, não regressa. O que nas palavras repete a resposta que não há. Da literatura, é o que eu sei.

Jorge Roque in cão celeste, nº 6 (2014), p. 20.

Posted in diálogos by Paulo S. on 04/12/2014

Ellsworth Kelly, Proposal for Ground Zero, New York City, 2003

Posted in diálogos by Paulo S. on 20/11/2014


live at BBC (1971) | performance on “The Porter Wagoner Show” (1974)