do Gr. photós + páthos

Posted in filosofia, livros emprestados by Paulo S. on 13/07/2017

O meramente positivo é desprovido de vida. A negatividade é essencial à vitalidade: «Por conseguinte, algo só é vivo quando contém em si a contradição, e o vivo é justamente essa força de conter e sustentar a contradição em si mesmo.» [Hegel]. Assim, a vivacidade distingue-se da vitalidade ou capacidade da mera vida, à qual falta toda a negatividade. O sobrevivente equivale ao não morto, que é demasiado morto para viver e demasiado vivo para morrer.

HAN, Byung-Chul, Agonie des Eros (2012), A Agonia de Eros, Trad. Miguel Serras Pereira, Lisboa, Relógio D’ Água Editores, 2014, p. 33.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: