do Gr. photós + páthos

Posted in filosofia, livros emprestados by S. Paulo on 13/07/2017

O meramente positivo é desprovido de vida. A negatividade é essencial à vitalidade: «Por conseguinte, algo só é vivo quando contém em si a contradição, e o vivo é justamente essa força de conter e sustentar a contradição em si mesmo.» [Hegel]. Assim, a vivacidade distingue-se da vitalidade ou capacidade da mera vida, à qual falta toda a negatividade. O sobrevivente equivale ao não morto, que é demasiado morto para viver e demasiado vivo para morrer.

HAN, Byung-Chul, Agonie des Eros (2012), A Agonia de Eros, Trad. Miguel Serras Pereira, Lisboa, Relógio D’ Água Editores, 2014, p. 33.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: