do Gr. photós + páthos

Servindo o chá (p. 74)

Posted in filosofia by Paulo S. on 17/10/2013

Jane falava de amor porque atingira um nível de cinismo superior. Sabiam ambas que o amor era um incómodo do crescimento e, ao contrário da acne, irreal. Não passava, no fundo, de um conceito, mas de um conceito forte e invasivo que afectava o juízo das pessoas. As novas gerações, a pouco e pouco, adquiriam uma resistência provavelmente cortical, orgânica, e o conceito de amor não pervertia todo o comportamento da pessoa. Airosamente separavam sexo, intimidade, favoritismo e afecto.

Hélia Correia em Granta, #2, Outubro de 2013.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: