do Gr. photós + páthos

Sófocles, já te apresentei o José Gil?

Posted in filosofia by Paulo S. on 09/02/2012

ELECTRA

[…] no meio desta perversidade, força é que eu aja de modo perverso.

SÓFOCLES, “Electra” in Tragédias, Trad. Maria do Ceú Fialho, Coimbra, MinervaCoimbra, 2003, p. 113.

O queixume generalizado, a inveja como sentimento e prática social normal foram, por assim dizer, «institucionalizadas» pela retórica salazarista da invisibilidade e do silêncio, fazendo desaparecer o signo supremo da ditadura (Salazar) para deixar o campo aberto a uma entidade difusa e indefinida (o «país»). Desde logo a queixa individual e a inveja ganham um outro alcance e uma outra legitimidade: tornam-se práticas sociais habituais, quase «costumes». Já não são sintomas pessoais, é uma doença que faz funcionar toda uma sociedade, aceite como «normal». Eis a grande perversidade do sistema salazarista.

GIL, José, Em Busca da Identidade – o desnorte, Lisboa, Relógio D’Água Editores, 2009, p. 17.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: