do Gr. photós + páthos

com Enrique Vila-Matas

Posted in filosofia by Paulo S. on 16/04/2008

Como gosto desta descobertas tardias! Está a tornar-se o meu autor favorito.

Agora anda sempre comigo: París se acaba nunca, Barcelona, Editorial Anagrama, 2007 (2ª Edición).


(não sei quem é o autor desta fotografia)
Anúncios

Uma resposta

Subscribe to comments with RSS.

  1. Salwa Mahmoud said, on 05/10/2009 at 7:56 AM

    Paris no se acaba nunca refleja la experiencia personal del autor, Enrique Vila Matas, en Paris. Precisamente en sus anos de aprendizaje como escritor. La obra se caracteriza de un lenguaje sencillo y directo, pero con muchas repeticiones. Esta frecuencia narrativa de contar un suceso varias veces puede ser interpretada de dos maneras: 1- Una tecnica narrativa usada intencionadamente por el autor para mostrar los laberintos en que se mete un escritor incipiente. 2- Produce una sensacion de abulia y aburrimiento en el lector que ve y comprueba los distintos ensayos de un escritor que intenta escribir su primera novela.

    Dra. Salwa Mahmoud
    Profesora de Literatura Espanola e Hispanoamericana
    Universidad de Helwan (Egipto)


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: