do Gr. photós + páthos

o que provoca o temor? IX

Posted in fotografia by Paulo S. on 19/08/2016

Universidade de Coimbra (22 de Maio de 2016)

Are you here de Matthew Weiner

Posted in diálogos by Paulo S. on 14/08/2016

(Ben Baker:) I really screwed up.
(Angela Baker:) It wasn’t in your control.
(Ben Baker:) Gauguin packed up as far from this crap hole as possible, and the world wasn’t even 1/10th as polluted as it is now.
(Angela Baker:) You feel like packing up?
(Ben Baker:) No, I don’t even feel that. I just feel like… it’s a pretty nice day, and I hate myself for being the guy that only has that to say.

versão XL

Posted in versões/covers by Paulo S. on 05/08/2016

Mercadorias, revoltem-se! (p. 3)

Posted in Le Monde diplomatique by Paulo S. on 31/07/2016

Destruídos os vínculos sociais, a confiança de que os direitos e contratos serão respeitados, comprometida a convicção de que o poder político faz escolhas para defender a comunidade, como podem cidadãos reduzidos a mercadorias revoltar-se?

Sandra Monteiro em Le Monde diplomatique – edição portuguesa (nº 104 | II série | Junho de 2015)

Posted in fotografia by Paulo S. on 27/07/2016

, Évora, 27 de Julho de 2014

Posted in revista by Paulo S. on 21/07/2016

Montra (da esquerda) da Livraria Fonte de Letras

Teógnis, fr. 153

Posted in filosofia by Paulo S. on 18/07/2016

O excesso gera a insolência, quando a riqueza chega
ao homem vil a quem falta rectidão de pensamento.

Poesia grega de Álcman a Teócrito, Trad. e org. Eduardo Lourenço, Lisboa, Livros Cotovia, 2006, p. 68.

Posted in filosofia by Paulo S. on 08/07/2016

A Europa consegue este prodígio: sem existir, tem a existência ameaçada. Sem homogeneidade que a defina, vê tremer o que nela é homogéneo, os direitos humanos, a dignidade e a liberdade, já que da igualdade e da fraternidade aguardamos ainda a vinda messiânica. Posta em desequilíbrio, impreparada para dar combate aos velhos-novos inimigos que, sendo tudo aquilo que já fomos, exterminadores a mando de palavras divinas, e sendo tudo aquilo que hoje somos, internautas capazes de atravessar paredes, dificilmente se distinguem dos vizinhos cujas crianças brincam com as nossas.

Hélia Correia, “Fala o pobre”, Público (1 de Julho de 2016)

As metamorfoses da dívida africana (p. 32)

Posted in Le Monde diplomatique by Paulo S. on 29/06/2016

No âmbito da iniciativa Países Pobres Muito Endividados, lançada em 1996, trinta e seis países, dos quais trinta países africanos, beneficiaram de uma redução de um total de 76 mil milhões de dólares do serviço das suas dívidas bilaterais e multilaterais. Contudo, segundo o Comité para a Anulação da Dívida do Terceiro Mundo (CADTM), estas medidas são um engano: o stock da dívida da África subsariana passou de 2 mil milhões de dólares em 1970 para 331 mil milhões de dólares em 2012.

Sanou Mbaybe em Le Monde diplomatique – edição portuguesa (nº 103 | II série | Maio de 2015)

versão XXXIX

Posted in versões/covers by Paulo S. on 27/06/2016
Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.